quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O meu pai

O meu pai faleceu na passada Sexta-Feira. Estava doente, respirava mal e padecia de obstrução respiratória crónica que o atormentava há alguns anos a esta parte.
Segundo o médico que o via regularmente, a doença crónica, devia-se aos muitos cigarros que fumou.
Lembro-me que fumava Português Suave, e na foto acima, tirada no início dos anos sessenta, tem um cigarro nos dedos. Imediatamente atrás, estou eu, de mão no bolso e a observar atentamente as manobras do meu tio Manuel ( já falecido também, há meses) e do meu primo também Manuel, senhor da situação e ao lado de um motor de rega, em cima de um carro de bois, numa casa de lavoura como era a dos meus avós maternos. Ainda ontem lá estive, precisamente naquele local, para falar com o meu primo.
Esta foto simboliza a minha infância, antes de entrar para a escola primária e representa a minha posição perante o meu pai: ao lado, mas atento ao que o rodeava..

6 comentários:

Eduardo F. disse...

Texto bonito, amigo.
Curto como a vida, mas um texto bonito.

Abraço.

Gomez disse...

Os meus sentidos pêsames.
Gd. abraço,

*©OsMi©_KeY§*_® disse...

Caro amigo as lembranças são unicas, o texto faz-nos pensar. Força

Culto do Vinil

ié-ié disse...

José, que chatice, só agora vim ao blogue. Um grande abraço para ti.

LPA

josé disse...

Agradeço aqui a atenção pessoal. Escrevi aqui por achar que devia e por me fazer sentir bem por isso.

JMAbreu disse...

José, deixe-me trespassar aquele sentimento tão nobre que é comum a todo o ser humano, " Gratidão ", como opinei numa outra sua publicação, a simplicidade das coisas tornam-se belas, este é mais uma prova disso. Muito obrigado e regressarei a este sempre que possível, por todo um trabalho aqui bem elaborado e digno de registo.
Bem Haja
Funchal Madeira / Portugal
JMAbreu